Unemployee of the Year

by Be-Blogger Portugal on: Outubro 3rd, 2012

Numa altura em que os jovens precisam mais que nunca de acreditar nalguma coisa, e de alguma coisa que acredite neles, a Benetton traz-nos incentivo sem precedentes e ao seu estilo irreverente do costume.

Contrariando a ideia de apatia, esta campanha vem encorajar os jovens a tomarem as rédeas da sua própria vida e serem agentes de mudança face ao desemprego, expondo os seus projectos e ideias.

Contando com uma geração, que é a mais qualificada de sempre, a que mais línguas fala, e melhor se relaciona com as novas tecnologias, a Benetton chama jovens desempregados de todo o mundo, entre os 18 e 30 anos a apresentar esboços de projectos. As suas ideias devem conduzir a um impacto concreto na comunidade. Estas ideias serão submetidas à fundação UNHATE, e votadas pela comunidade online. Dessa escolha, 100 dos projectos irão receber apoio da UNHATE para tornar reais estes esboços, e irão receber 5.000€ cada para o fazer.

Estes “não-empregados” têm agora a oportunidade de provar a sua utilidade, contrariando a ideia de conformismo e preguiça.

“Um emprego não define quem tu és, mas aquilo que lutas e acreditas.” é a mensagem da benetton.

Fomos espreitar os projectos que os “não-empregados” do mundo apresentam, e ficámos impressionados com as ideias originais que encontramos e que provam que esta geração tem muito a acrescentar.

Em Espanha, onde a taxa de desemprego juvenil (15-24 anos) ronda os 52,9%, Alvaro Dols sugere o “unHATE Journal” que recebe conteúdo de vanguarda que visa contribuir para a construção de uma cultura contra o ódio, com base nos valores da Benetton. A plataforma vai incluir artigos e entrevistas com artistas, arquitectos, celebridades, pessoas comuns, fotógrafos, políticos, que de alguma forma contribuíram para marcar a diferença na história do mundo. Será um lugar para as pessoas que se preocupam com o mundo e com aqueles que o rodeiam, onde se podem reunir e aprender sobre diferentes pontos de vista, compartilhar experiências, assistir vídeos, participar em competições e desafios que definam o perfil dos leitores.

Ana Rita Ramos, vive no Porto não esconde a sua preocupação sobre a situação económica portuguesa. Diz ter notado vários problemas na sua cidade: casas abandonadas em edifícios muitos deles centenários. Acredita que o trabalho dos designers está desvalorizado. Assim, sugere uma reabilitação destas casas dando-lhes uma nova vida, pretende recuperar prédios abandonados e usar esses “buracos” urbanos para a criação de escritórios multidisciplinares (moda, grafismo, interiores, jóias, design multimédia) por toda a cidade. Assim, os designers recém-licenciados teriam oportunidade de expor o seu trabalho e projecta-los na sua cidade.

YouTube Preview Image

Regina Veleno vem de Roma, e no seu país o desemprego juvenil era em Julho de 35,3%. A italiana propõe uma descoberta do mundo interior através da arte do teatro. Numa altura em que muitos andam perdidos, esta ideia surge como uma lufada de ar fresco, onde cada sessão do psicodrama cada pessoa se pode tornar um agente terapêutico para as outras pessoas. Regina propõe este projecto para alertar consciência dos adolescentes de forma a que estes se tornem adultos capazes de ajudar e entender o próximo.

Estes são apenas alguns dos projectos com que nos cruzamos até à data. O desafio Benetton está lançado e temos a certeza que ainda podemos contar com muita mais originalidade da geração “Unemployed”!

 
 

leave your comment